Anúncios
BEM VINDO(A) AO FÓRUM ADG!

RESPEITE AS REGRAS DO FÓRUM Smile

SEJA UM PLAYER EXEMPLAR. GANHE BENEFÍCIOS COM SEU EXEMPLO.

EM BREVE EVENTOS DIÁRIOS, FIQUE ATENTO E PARTICIPE.

VAGAS ABERTAS NAS ÁRIAS SECUNDÁRIAS.

******************************

FIQUE ATENTO CHAGENLOG DO FÓRUM, NELA SÃO POSTA ATUALIZAÇÕES E NOVIDADES. SAIBA MAIS CLICANDO AQUI


[NOTÍCA] Brasil tem mais de 140 mil denúncias contra direitos humanos

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Clarinha
avatar
JORNALISTA
JORNALISTA
Feminino INSCRITO DIA : 25/09/2017
GRUPO : Jornalismo
MENSAGENS : 6
PONTOS : 989

MensagemClarinha em Seg Abr 30, 2018 8:35 am



*Brasil tem mais de 140 mil denúncias contra direitos humanos*


-O Disque 100 - principal meio para comunicar violações de direitos humanos no país - recebeu 142.665 denúncias no último ano, número superior às 133.061 registradas em 2016.

-Violações contra crianças e adolescentes lideram a lista de denúncias, como ocorre desde a criação do canal, seguidas por violações contra idosos e pessoas com deficiência. Os dados foram divulgados pela Ouvidoria Nacional do Ministério dos Direitos Humanos. Em 2017, foram feitas 84.049 denúncias de violações contra crianças e adolescentes - 10% a mais do que o registrado em 2016. Muitas denúncias envolvem mais de um tipo de violação e mais de uma vítima. Foram contabilizadas 130.224 crianças e adolescentes vítimas de violações em 2017 e 166.356 casos de violações.

-O maior número de denúncias envolve crianças entre 4 e 7 anos de idade e em 45% das vezes ocorrem na casa da vítima.

-O tipo de violação mais reportada foi negligência, com 61.416 casos, seguida de violência psicológica, com 39.561, e violência sexual, com 20.330 casos.

-Os dados de 2017 também revelam um aumento de 29,64% no número de denúncias de violações contra pessoas com deficiência. Também cresceu 20% o número de denúncias de violações contra pessoas em restrição de liberdade, que totalizou 4.655 em 2017, frente 3.861 em 2016.

-A ouvidora nacional dos Direitos Humanos, Érica Queiroz, explicou que não há elementos que indiquem que o aumento de denúncias seja decorrente, necessariamente, do crescimento da violência contra certos grupos, mas podem indicar um maior conhecimento sobre a existência do Disque 100. “Houve campanhas no último ano, inclusive inserções espontâneas em novelas, por exemplo, que tiveram grande repercussão”, disse Érica.

Idosos

-A violência contra pessoas idosas gerou 33.133 denúncias e 68.870 violações. Nas denúncias de violações, 76,84% envolvem negligência, 56,47%, violência psicológica, e 42,82%, abuso financeiro e econômico. A maior parte dos casos, 76,3%, ocorre na casa da própria vítima.

Pessoas com deficiência

-Foram 11.682 denúncias e 22.177 violações contra pessoas com deficiência. Sessenta e sete por cento das denúncias indicaram negligência; 50%, violência psicológica, e 30% dos casos envolviam violência física. Entre esse grupo, 63,82% das violações foram registradas na casa da vítima.

LGBT

-Em 2017 foram feitas 1.720 denúncias de violações contra lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais, número 8% menor que em 2016. No total, o balanço diz que essas pessoas sofreram 2.998 violações em 2017. Entre os tipos de violação, 70% tinham elementos de discriminação; 53%, violência psicológica e 31%, violência física.

Serviço atende a diversos tipos de violações

-A ouvidora nacional destacou que qualquer pessoa pode relatar violações pelo Disque 100. O serviço acolhe denúncias relativas a violações de diferentes tipos e grupos, sejam contra crianças e adolescentes, pessoas idosas, pessoas com deficiência, pessoas em restrição de liberdade, violações ligadas a racismo, gênero, entre outros, como violência policial.

“O objetivo principal desse relato não é necessariamente fornecer elementos suficientes para identificar o suspeito ou começar uma perseguição penal, mas sim tirar a vítima daquele ciclo de violação”, explicou a ouvidora nacional, lembrando que a central de atendimento funciona 24 horas.

-Segundo Érica, a equipe de atendimento tem formação na área de psicologia, assistência social e outras áreas de humanas, para que possam conversar com as pessoas em momentos de fragilidade, extrair informações suficientes para ir ao local onde ela está e tirá-la dessa situação de vulnerabilidade. “O principal objetivo é cessar a violação”, disse.

-O Disque 100 tem três canais de atendimento. Por telefone, basta discar 100. Também é possível fazer as denúncias com a mesma segurança e rapidez por meio do aplicativo Proteja Brasil (disponível no Google Play e na App Store) ou por meio do site Humaniza Redes.

-Por meio do serviço é possível fazer denúncias anônimas, se solicitado pelo denunciante, obter orientações e tomar providências para resolver casos de violação de direitos. O sigilo das informações é garantido.

-As denúncias são analisadas e encaminhadas aos órgãos de proteção estaduais - Ministério Público, Corregedoria Geral da Secretaria de Estado, Ouvidoria Geral, Defensoria Pública - para que tomem providências cabíveis em até 24 horas.

-De acordo com o Ministério dos Direitos Humanos, as informações do Disque 100 também são usadas para orientar a pasta a definir prioridades, identificar as maiores vulnerabilidades e estabelecer medidas para prestar um serviço direto de acolhimento à população. “A Ouvidoria está vinculada ao gabinete do ministro, então temos acesso direto a todos os secretários e nos reunimos periodicamente com eles para passar informações”, disse.

Informações Adicionais:

-Formatação realizada por: @Clarinha 
-Texto original extraído de: https://noticias.r7.com
-Notícia original: https://noticias.r7.com/brasil/brasil-tem-mais-de-140-mil-denuncias-contra-direitos-humanos-28042018




Jornal ADG sempre trazendo o que há de melhor para você
Atenciosamente: Equipe Jornalismo-ADG
Ketholy ♥
avatar
DIRETORA
DIRETORA
Feminino INSCRITO DIA : 25/07/2016
GRUPO : DIREÇÃO
MENSAGENS : 57
PONTOS : 2152
IDADE : 19
https://assuntosgeral-com-br.forumeiros.com

MensagemKetholy ♥ em Ter Maio 08, 2018 5:51 pm

Belo trabalho @Clarinha,

Realmente quando se fala em direitos humanos é algo bem polemico e que infelizmente chega a ser uma realidade, todos os dias me deparo com um caso de desrespeito a humanidade, um desses caso esta no Brasil, sendo ele os moradores de rua, etc. Um país que ainda tem que aprender muito a valorizar os valores, não o Brasil em si, porque o país é ótimo as pessoas que se tornam desagradáveis. 

O/


KetSmell
avatar
DIRETORA
DIRETORA
Feminino INSCRITO DIA : 18/01/2018
GRUPO : Sub-Direção
MENSAGENS : 7
PONTOS : 747
IDADE : 19

MensagemKetSmell em Ter Maio 08, 2018 6:00 pm

Admin escreveu:Belo trabalho @Clarinha,

Realmente quando se fala em direitos humanos é algo bem polemico e que infelizmente chega a ser uma realidade, todos os dias me deparo com um caso de desrespeito a humanidade, um desses caso esta no Brasil, sendo ele os moradores de rua, etc. Um país que ainda tem que aprender muito a valorizar os valores, não o Brasil em si, porque o país é ótimo as pessoas que se tornam desagradáveis. 

O/

Concordo com @Admin, todos os dias também me deparo com desrespeito ao direito humano. Infelizmente não se dá para fazer muito já que os próprios responsáveis pelo RH e pelo Bem Estar do país de todos não faz, nos que não podemos fazer.
Rust
MEMBRO
MEMBRO
INSCRITO DIA : 15/11/2016
GRUPO : Membro
MENSAGENS : 2
PONTOS : 1595

MensagemRust em Seg Maio 21, 2018 12:23 pm

Boa notícia,

Concordo com as meninas, quando se diz a respeito do ser humano à muito o que indagar. Infelizmente é inevitável se deparar com um desrespeito aos direitos humanos.



Coordenadores sugere: Respeite as Regras do fórum e conheça a nossa equipe Staff. Aprenda com as nossas FAQS e veja nossos tutoriais e astúcias. Veja o regulamento e afins das seções de suporte.

Conteúdo patrocinado

MensagemConteúdo patrocinado

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

Crie uma conta ou faça login para responder

Você deve ser um membro para responder.

Crie uma Conta

Junte-se a nossa comunidade! É fácil!


Criar nova conta

Entrar

Já é um membro? Não se preocupe, clique aqui para entrar.


Entrar

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum